sexta-feira, 30 de julho de 2010

O openSUSE é Software Livre? Acho que não...

Esbarrei outro dia numa notícia sobre o lançamento de uma nova versão (11.3) da distribuição openSUSE. Como gosto muito de experimentar várias distribuições Linux, ainda mais com as facilidades trazidas pela virtualização, baixei a dita cuja pra brincar um pouco.

Criei a máquina virtual, bootei, escolhi linguagem... e cheguei numa página onde eu tinha que aceitar uma licença. Como eu brinco com meus alunos, "aquela página que ninguém lê, vai logo clicando em aceito...". Bom, eu parei pra ler.

Começou promissor... "The openSUSE Project grants to you a license to this collective work pursuant to the GNU General Public License version 2...". Bom, não entendo muito de licenciamento, mas até onde sei, GPL é a licença que garante as liberdades de um software livre. Beleza então, tudo certo!

Até que li mais um pouco... "As required by US law, you represent and warrant that you: (...) c) will not export, re-export, or transfer openSUSE 11.3 to any prohibited destination, entity... d) will not use or transfer openSUSE 11.3 for use in any sensitive nuclear, chemical, or biological weapons or missile technology end-uses... "

Parou, parou, parou.... Se me lembro bem, duas das quatro liberdades do software livre são "a liberdade de executar o programa, para qualquer propósito" e "a liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo".

Então, voltamos a pergunta do título... o openSUSE é Software Livre?

Abortei a instalação, desliguei a máquina virtual, apaguei o arquivo ISO. Fica pruma outra oportunidade...

Abraços a todas e a todos!
Carlão

16 comentários:

ian disse...

Parece que o openSUSE não é tão 'open' assim. Que pena. :/

Aurium disse...

Já não é livre pela palavra "Open" no nome. :-)

Mas falando sério, esse seu cuidado foi muito importante pois, apesar de não me interessar por armas nucleares, não devemos aceitar que os direitos sejam retirados aos poucos, na letra pequena. E (ainda mais) fazendo isso o openSUSE está violando as licenças dos softwares livres de projetos independentes que ele traz em sua instalação.

Carlos disse...

Será que este link ajuda a esclarecer tal fato?

http://pt.opensuse.org/Project_Overview
ou original em ingles
http://old-en.opensuse.org/Project_overview

Em linhas gerais os objectivos do projecto openSUSE são:

* Tornar o openSUSE a distribuição Linux mais acessível e a mais utilizada plataforma de código livre.
* Disponibilizar um ambiente para colaboração de código livre que torne o openSUSE a melhor distribuição Linux tanto para utilizadores Linux novos como para experientes.
* Abrir e simplificar dramaticamente o processo de desenvolvimento e empacotamento de forma a tornar o openSUSE a plataforma de escolha de utilizadores experientes e programadores.

Rafael Gomes disse...

Senão me engano isso é uma lei para produtos americanos, eu acho...

Mas precisa ver se o RedHat também seria assim...

Mergulhão disse...

Qualquer empresa nos EUA hoje é obrigada a fazer isso por lei. Mas a lei dos EUA não se aplica se você está fora dele.

É o mesmo que acontece com a criptografia. Nos EUA só é permitido usar criptografia ssl até X bits, pois mais que isso é considerado arma de guerra.

Eu não gosto do openSuse, mas não confunda as coisas.

Abraço!

kov disse...

Não acho que a Novell tenha muita escolha. Felizmente, como essa é a lei dos EUA, você pode ignorá-la =P

Felipe Borges disse...

Concordo plenamente com você. Liberdade é liberdade, e mais, liberdade não tem preço!

Apenas com o intuito de "provocar", vou levantar um ponto de vista que não representa a minha visão pessoal, mas é bastante aceitável.

Em uma interpretação literal destes trechos extraídos da licença, nós temos:
"...a liberdade de executar o programa, para qualquer propósito" e "a liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo".
Já no trecho que você destacou, que me parece específico do OpenSUSE, temos: " will not use or transfer openSUSE 11.3 for use in any sensitive nuclear, chemical, or biological weapons or missile technology end-uses...".
Portanto, a licença do OpenSUSE viola a liberdade de executar o programa para qualquer propósito mas obedece o conceito de "ajudar ao seu próximo" já que construir armas químicas, biológicas e etc.... não é uma "boa" ajuda ao seu "próximo". =D

Vou me informar mais e ler a licença na integra. Esse seu post conseguiu me deixar intrigado. Não tenho conhecimentos jurídicos, mas partindo do ponto de vista apresentado neste meu comentário, acho que poderei inferir algo.

Abraço!

Anônimo disse...

This is not a violation of the GPL. Those distributors (almost all of whom are commercial businesses selling free software distributions and related services) are trying to reduce their own legal risks, not to control your behavior. Export control law in the United States might make them liable if they knowingly export software into certain countries, or if they give software to parties they know will make such exports. By asking for these statements from their customers and others to whom they distribute software, they protect themselves in the event they are later asked by regulatory authorities what they knew about where software they distributed was going to wind up. They are not restricting what you can do with the software, only preventing themselves from being blamed with respect to anything you do. Because they are not placing additional restrictions on the software, they do not violate section 10 of GPLv3 or section 6 of GPLv2.

The FSF opposes the application of US export control laws to free software. Not only are such laws incompatible with the general objective of software freedom, they achieve no reasonable governmental purpose, because free software is currently and should always be available from parties in almost every country, including countries that have no export control laws and which do not participate in US-led trade embargoes. Therefore, no country's government is actually deprived of free software by US export control laws, while no country's citizens should be deprived of free software, regardless of their governments' policies, as far as we are concerned. Copies of all GPL-licensed software published by the FSF can be obtained from us without making any representation about where you live or what you intend to do. At the same time, the FSF understands the desire of commercial distributors located in the US to comply with US laws. They have a right to choose to whom they distribute particular copies of free software; exercise of that right does not violate GPL unless they add contractual restrictions beyond those permitted by GPL.

Anônimo disse...

"As required by US law .."

Software livre (ou proprietário) não está acima da lei. Vários países impõem restrições sobre exportações, por exemplo, qualquer software produzido nos EUA estará sujeito a estas restrições. Esse aviso em específico deve ser em relação ao Acordo de Wassenaar e devido a distribuição conter pacotes referentes a criptografia (OpenSSL?).

Enfim, seguindo sua lógica, software livre não pode ser produzido em uns 40 países do mundo...

voyeg3r disse...

Você está certíssimo, aliás desde que houve a antiga novel aceitou o tal acordo da Microsoft já o via com maus olhos.

Wallacy disse...

"As required by US law,"... Ai está a questão.

Teoricamente todas as distros empacotadas nos EUA devem conter esses termos, de não poder usar para praticas terroristas, criar armas de destruição em massa, etc, etc. Todas as restrições são restrições que a lei americana impõe aos SOs, seja lá qual for ele.

Não é o OpenSUSE é o "US Law", as outras distros só não te avisam disso, porém os termos por lei são os mesmos.

Alex Bars disse...

Isso é argumento pra não instalar um distro, imagine se eu ti falar que vem como mono...

Voçe diria "SOCORRO!!

Purismo demais pra mim!!

Nome de Tela disse...

Lembrei de uma vez... quando eu ainda era estuadante e participei de um evento de Software Livre. Veio um cara da Microsoft dizendo das "iniciativas OpenSource" da empresa.

Daí o cara contou um relato que eles convidaram alguns estudantes (uns 3 ou 4 se eu não me engano) e eles puderam ver um pequeno trecho do código do kernel do Windows 2000. E ainda tiveram que assinar um termo para que nada fosse vazado.

Eles chamaram isto de iniciativa Software Livre... eu dei muita risada.

Eu disse...

Não é apenas software livre! Mas um software livre e tambem consciente! =D

Carlos José Pereira disse...

Oi, "você"...
Pra ser considerado software livre, precisa respeitar as 4 liberdades. E do jeito que consta na licença, isso não ocorre.
Gostaria muito de ouvir mais sobre o que você considera "consciente".
Abraços!
Carlão

Carlos José Pereira disse...

Oi Alex,
Sem problemas, vamos concordar em discordar! :-)
Abraços!
Carlão